Na última quarta-feira, 09, foi divulgado as scans da edição de dezembro/janeiro da revista “Cliché Magazine”, na qual Sabrina estampa a capa da mesma. Confira abaixo a entrevista traduzida por nossa equipe e as fotos do ensaio fotográfico:

ClicheDecJan2016-Sabrina-Carpenter ClicheDecJan2016-Sabrina-Carpenter4 ClicheDecJan2016-Sabrina-Carpenter5 ClicheDecJan2016-Sabrina-Carpenter2 ClicheDecJan2016-Sabrina-Carpenter6

 

 

 

005-3 003-3 008-3 006-3 009-2

 

 

 

É fácil esquecer que Sabrina Carpenter tem apenas 16 quando você fala com ela. Ela fala com conhecimento sobre o meio em que trabalha e sabe que carreira quer seguir. Quando eu tinha 16, eu me desesperada sobre não saber o que eu queria fazer com a minha vida e desesperadamente tentando convencer meu pai deixar eu tirar meu exame de motorista. Ela tem 16 anos com um álbum lançado, novas músicas á caminho e é estrela de um programa de TV que foi indicado ao Emmy. E mesmo parecendo mais velha do que sua idade, ela reconhece onde ela está.

Primeiro e antes de tudo, Carpenter sempre quis cantar. Com 16 anos, é o que ela decidiu – meus sonhos de ser uma bibliotecária aos 6 anos eram menos animadores, mas eu discordo – então quando Hannah Montana foi lançado na Disney Channel em 2006, Carpenter assistia Miley ter “o melhor dos dois mundos”; ela começou a cantar e atuar.

“Eu não sabia realmente o que atuação era até esse ponto, e levou alguns anos pra eu começar” Carpenter disse. “Então quando eu estava entre meus 11 anos, consegui meu primeiro papel e era um papel muito mais sério do que eu jamais teria pensado que estaria fazendo mas eu acho que foi isso o que me mostrou que talvez conseguiria uma carreira dentro disso.”

O papel era uma participação em Law & Order: SVU como uma vítima de estupro. Embora fosse um episódio pesado e Carpenter nunca tinha tido uma experiência anterior, o papel uniu todas suas vocações no ramo e deu o pulo que ela precisava.

“Essa é a coisa mais legal sobre ser cristã em uma indústria.” ela disse. “Você tem muita vulnerabilidade e curiosidade porque você não sabe o que você está fazendo até estar muitos anos nisso. Mas ainda nós não sabemos o que estamos fazendo. Nós apenas fingimos que sabemos.”

Carpenter fez o teste pro seu primeiro papel na Disney Channel, cujo qual também estreiaria John Heder, quando ela tinha por volta dos 13 anos, mas ela não conseguiu o papel. O conceito de não ter sido aceita era novo para Carpenter, e era uma lição de experiência para a jovem atriz.

“Isso abriu meus olhos para quantas pessoas tem a porta fechada na cara todo dia,” ela disse. “Ás vezes você pode ser aceita para um trabalho e o mundo nunca ver isso, então há muitos altos e baixos para lidar. Eu odeio levar não como resposta – é uma das minhas maiores irritações- mas ás vezes é como você tem que lidar no trabalho, e você não pode levar tudo pro pessoal.”

Após a falha nesse teste para a Disney Channel, Carpenter conseguiu um piloto na ABC e na Fox, o que a permitiu a de ter experiências nos processos em outros lugares. Ela conseguiu um papel recorrente na série The Goodwin Games da FOX , que estrelava Scott Foley e TJ Miller, mas o show foi cancelado após sete episódios.

Mas aí o próximo projeto de Carpenter, Girls Meets World, apareceu. Carpenter ouviu sobre a suposta sequência de Boy Meets World, comédia dos anos 90 da TMZ. Como fã do programa original, ela sabia que queria ser parte da sequência.

O programa apresenta Ben Savage e Danielle Fishel revisando seus papéis de Cory e Topana Matthews, mas focado em sua filha Riley (Rowan Blachard) e sua melhor amiga Maya (Carpenter).

Inicialmente Carpenter fez uma audição pro papel de Riley, e depois de um longo processo, pediram para ela entrar e ler um script que ela não estava autorizada, antes de tudo. Isso resultou em Carpenter como Maya.

Seu novo projeto é Further Adventures in Babysitting da Disney, uma sequência autônoma á Adventures in Babysitting de 1987. Ela faz parte da dupla de babás, que devem trabalhar juntas quando as crianças fogem.

Mas mesmo com seus papéis fora de atuação, Carpenter não esqueceu sobre seu primeiro amor por cantar. Ela lançou seu álbum de estréia, Eyes Wide Open, em abril desse ano.

“Eu aprendi mais sobre mim mesma nos últimos dois anos do que eu acho que uma humana normal deveria.” Carpenter disse. “Mas eu acho isso ótimo por que me ensinou muito. Há muito mais atrás das coisas que você não entende até você estar realmente no processo de fazer seu primeiro álbum.”

Carpenter originalmente assinou com a Hollywood records quando tinha 12 anos, antes de Garota Conhece o Mundo, e começou o processo de gravação com 13 anos. Ela tinha, originalmente, começado a postar vídeos no Youtube, fazendo covers de seus artistas favoritos como Christina Aguilera, Adele e The Beatles.

Mas ela estava filmando a primeira temporada de Garota Conhece o Mundo enquanto, simultaneamente, escrevendo um álbum, isso tudo antes de ter idade suficiente para dirigir. Por causa do processo que levou 3 anos, Carpenter disse que o álbum é uma representação de quando ela estava entre os 13 e os 15 anos.

“Eu tiro inspiração da vida, das situações e dos sentimentos, mas ouvir música enquanto estou escrevendo me dá muitas ideias.” ela disse.

Sem deixar isso escapar, Carpenter está de volta ao estúdio trabalhando em músicas novas, tirando inspiração de letras e músicas de artistas como Hozier e Zella Day. E por causa disso, ela gosta de se manter ocupada, também aprendendo a tocar piano, violão, bateria e ukulelê.

Adaptação e Tradução: SCBR.